A beleza que está além da aparência é missão de cristãos

Na homilia da Missa do Domingo de Ramos, D. António Marto refletiu sobre a beleza do amor presente no rosto crucificado de Cristo, exortando os peregrinos a também “descobrir, mostrar e realçar, com olhar da fé”, a autêntica e extrema beleza do amor que salva e dá a vida.

Milhares de peregrinos reuniram-se no Santuário de Fátima, ao final da manhã de hoje, para celebrar o Domingo de Ramos da Paixão do Senhor, que dá início à Semana Santa. Após a recitação do Rosário, na Capelinha das Aparições, comemorou-se a entrada do Senhor em Jerusalém, com a bênção dos ramos, seguida de procissão até ao altar do Recinto de Oração, onde foi celebrada a Missa, sob a presidência do bispo de Leiria-Fátima.

Na homilia, o cardeal D. António Marto começou por caracterizar “dois quadros” distintos que marcam a Semana Santa.

“No primeiro quadro, cheio de encanto e beleza, contemplamos Jesus, sentado sobre um jumentinho, a entrar na cidade de Jerusalém, com uma multidão em festa, que O acolhe com cântico de júbilo e louvor. No segundo quadro, que, à primeira vista, contrasta com o primeiro, contemplamos Jesus, flagelado, insultado, ultrajado, cravado na cruz, desfigurado, tal como nos é apresentado na narração da paixão, na leitura do profeta Isaías e no salmo.”

Constatando a dificuldade que muitos cristãos têm em “contemplar o rosto tão desfigurado e tão miserável de aspeto do crucificado”, apresentado no segundo quadro, o bispo de Leiria-Fátima desafiou os peregrinos a descobrir, com o olhar da fé, a “beleza escondida” no rosto desfigurado de Cristo, uma beleza que é “autêntica e extrema”, “que ama até ao fim, que dá a vida para que nós tenhamos vida e que é mais forte que o pecado e a morte”.

Na ajuda desta descoberta, e para concretizar a forma de “levar a beleza do amor de Cristo à nossa vida e às nossas tarefas mais simples do dia-a-dia até às periferias”, D. António Marto citou o Papa Francisco nas várias situações concretas do quotidiano que mostram e realçam a “beleza que lembra a de Cristo na cruz”.

“Há beleza no trabalhador, que regressa a casa surrado e desalinhado, mas com a alegria de ter ganho o pão para os seus filhos; na comunhão da família, reunida ao redor da mesa e no pão partilhado com generosidade; na esposa, mal penteada e já um pouco idosa, que continua a cuidar do seu marido doente, para além das suas forças e da própria saúde; ou na fidelidade dos casais, que se amam no outono da vida, naqueles velhinhos que caminham de mãos dadas”, concretizou o prelado, ao desafiar a assembleia a descobrir a beleza que está além da aparência e que tarefa própria do cristão.

“Para além da aparência ou da estética imposta pela moda, há beleza em cada homem e cada mulher que vive com amor a sua vocação pessoal, no serviço desinteressado à comunidade, à pátria, no trabalho generoso a bem da felicidade da família, comprometidos no árduo trabalho, anónimo e gratuito, de restabelecer a amizade social. Descobrir, mostrar e realçar esta beleza, que lembra a de Cristo na cruz, de que o mundo tanto precisa, é a nossa missão de cristãos”, concluiu.

Descobrir, mostrar e realçar a beleza que está além da aparência é missão de cristãos, afirmou D. António Marto © Luís Oliveira, Santuário de Fátima
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...

Editorial Rede 17

Na Vigília Pascal celebrada na Catedral da nossa Diocese, houve um momento, um gesto, que passou despercebido a muitos dos que marcaram

Editorial Rede 16

O destaque da REDE de hoje vai para a homilia proferida pelo Bispo D. António Marto na Missa Crismal celebrada esta manhã


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/tmpleiriafatima/public_html/wp-includes/functions.php on line 4212